2018-07-07


Inhambane Dia 3



Era para ser à primeira hora de sábado mas acabou por ser à última de 6.ª!
Não há como chegar a um país pela fronteira terrestre! É um momento glorioso e ao mesmo tempo nostálgico! Vem-me sempre à memória a fila enorme de carros na fronteira de Valença quando em criança ia em família à “longínqua” Espanha!
A fronteira é um lugar complexo. Uma linha quase imaginária de escassos metros e que tantas vezes divide duas realidades tão diferentes!!!


Tudo fácil na papelada! Uma vez mais a competência da “GS África” que me pôs nas mãos todos os documentos necessários, detalhadamente explícitos para qualquer eventualidade!


O conta Kms já marcava 430! Mas ainda havia muito por andar. Entre as 17:30 (hora a que atravessei a fronteira) e as 0:30 (hora a que finalmente parei), vivi uma experiência motociclistica que às vezes não se vive numa vida inteira. Fiz 50Kms em 3 horas e meia! Dois camiões acidentados numa nacional, carros e camiões a cortarem pelos “carreiros” de areia nas bermas e eu atrás de uma pick-up com o meu amigo Marrime e o motorista que tinham ido ao meu encontro. Atalhos e mais atalhos, ruas sem saída, em pó ou terra batida esburacada quase sempre com a única luz de um imenso céu estrelado! Sempre muita gente, as casas e ainda as “lojas” abertas, a música nas portadas a anunciar fim de semana e os transportes públicos improvisados com lotação esgotada. Finalmente lá encontramos a N1! Chove sem piedade. De capacete aberto e sem óculos a chuva é o pior inimigo, e sem linhas na estrada nem luz elétrica era quase impossível acompanhar a pick-up! Ainda assim, fui 3 vezes parado pela polícia e 3 vezes mostrei documentos, ao mesmo tempo que trocava algumas impressões sobre a moto! Eram 0:30 quando me despedi do Marrime e do motorista que ainda seguiram viagem. Fiquei na Província de Gaza, Xai-Xai, num hotel bem confortável!


Até chegar à fronteira o dia passou-se assim:


Vinhas desse extraordinário néctar Sul Africano.



Na estrada um sinal que não me lembro ter visto nas aulas de código!



A passar paralelo à porta Sul do “Kruger Park” são Kms de cercas. Do outro lado reservas privadas e muitos adoráveis bichinhos!



E finalmente em Ressano Garcia, já com documentos tratados a festejar com desconhecidos, esta gente adorável deste país que é “Imenso”!...



Em jeito de “condecoração” e tal como já havia prometido, a minha “Pequena GS” que em 3 dias percorreu...2134 Kms!!!...deixa de ser “Pequena...” para ser a minha “BABY GS”!





SIGA-NOS